planejamento
agilizando a obra
armazenamento
mão de obra
como economizar
documentos importantes
perguntas mais freqüêntes
materiais e preços

Como Economizar no Decorrer da Obra

No decorrer da obra, vários detalhes contribuem para que em média 30% dos materiais perfeitamente utilizáveis vão para o lixo. Em algumas obras, até 70% dos materiais vão para o lixo, mas já em outras, uma parcela muito pouco significativa que é jogada fora. Preste bastante atenção nestes detalhes, eles podem parecer bobos, mas no final com certeza aliviam o bolso.

# É muito normal que durante a montagem de uma forma de madeira, ou no assentamento de uma porta ou de uma janela que o funcionário responsável use pregos. Mas cada prego que é entortado, ou que espirra caindo um pouco longe, não é mais utilizado. O funcionário simplesmente pega um prego novo na embalagem. Se no final do dia, um funcionário for designado para catar e desentortar os pregos não utilizados, com certeza vai haver uma diminuição significativa na compra de pregos.

# Geralmente quando se está fazendo uma pilastra, faz-se a armação com vergalhões. As sobras do vergalhão, que não serão mais reaproveitadas devem ser jogadas dentro das armações quando estiverem sendo cheias de concreto. Essa atitude, além de fortalecer a viga, evita o desperdício e diminui as chances de pessoas se machucarem no canteiro de obras.

# Quando se está preparando a massa (cimento, areia e água), os funcionários, geralmente transportam a areia em latas ou em carrinhos de mão. No transporte dessa areia, se perde muito pelo caminho, a lata pode estar furada, ou o carrinho tomba, sempre alguma coisa acontece. Se o monte de areia estiver perto do local onde for preparada a massa, a perda será mínima. Ou se algum funcionário passar a varrer, peneirar e devolver ao monte, a economia também será enorme. Para uma obra de 300m², no final, a economia pode chegar a 6m³de areia no final da obra.

# Outro problema muito comum, acontece na hora em que uma parede está sendo rebocada. Muitos pedreiros, ao assentar tijolos, não faz o serviço bem feito, e as paredes, na maioria das vezes, ficam tortas. Mas uma parede para ser pintada ou mesmo que está sendo preparada para receber cerâmica ou pedras, tem que ser totalmente reta. Para isso, o funcionário nivela a parede com uma camada mais grossa de massa. Imagine uma obra de 300m²com 1cm a mais de massa em cada parede, seria uma quantidade absurda. Fique atento, e exija que o funcionário verifique o nível durante o assentamento.

# Geralmente, quando o funcionário vai preparar a massa, ele costuma transportar o cimento na mesma lata que a água. No final do dia, quando aquela água seca, o cimento endurece e forma-se uma grossa camada dentro da lata. Essa atitude, inutiliza a lata e também consome uma parte significativa de cimento. A atitude a ser adotada é exigir que o transporte da água e do cimento seja feito em recipientes diferentes, um para a água e outro para a areia.

# É muito comum que quando a parede está sendo erguida, durante o assentamento dos tijolos, em vários pontos, quando não se cabe um tijolo inteiro, então o funcionário quebra um tijolo ao meio, ou então somente um pedaço. Mas quando ele precisa de outro pedaço na próxima fileira ele quebra outro tijolo e não reaproveita o pedaço que sobrou. Além de gerar desperdício, isso gera uma pilha enorme de entulhos. Fiscalizando isso, você economiza tijolos e também com caçambas para entulho.

# Geralmente quando o funcionário vai imbutir aquelas caixinhas para a instalação de tomadas e acendedores, tubos de PVC, mangueiras para a condução de fios e cabos, ele faz um buraco grande demais , e pior, depois da parede já rebocada. Na hora de tapar estes buracos, ele utiliza apenas massa. A dica é que ele use uma quantidade mínima de massa e preencha o resto com cacos de tijolos que muito sobram e que isso seja feito antes da parede ser rebocada. Essa atitude pode ser estendida também para o assentamento de portas e janelas porque em muitas vezes o vão é muito maior que o necessário.

# Apesar de que as madeiras de construção devem ser de terceira qualidade (porque depois da obra, não serão reaproveitadas), durante a obra, pode-se perfeitamente usa-las várias vezes. Quando faz-se um molde, para uma viga, e depois pretende-se fazer uma escada, pode-se emendar as vigas de modo que as tábuas serão reaproveitadas, Não necessitando comprar outras, a não ser que as quantidades sejam insuficientes.

# Um dos maiores prejuízos que quem está construindo ou reformando pode ter, é o manuseio errado de cerâmicas e de pedras decorativas. Estes são artigos caros e fáceis de se quebrar. Tenha bastante cuidado ao escolher a pessoa que fará este serviço, porque se a pedra quebrar, é muito caro para repô-la. Já se a cerâmica for danificada, pode ser que o modelo escolhido já tenha saído de linha (não seja mais fabricada) e aí dificulta de verdade sua reposição. Mas mesmo assim se ocorrer de uma cerâmica ser danificada, e ela já tiver saído de linha, a única saída é recorrer aos cemitérios de azulejo.

# Ao bater a laje, por medida de pura economia, pode-se colocar cacos de tijolos entre as frestas em vez de enche-las apenas de massa.

# Ao se assentar tábuas corridas, no chão de concreto, são colocadas ripas de madeira para que as tábuas corridas sejam fixadas a elas. Normalmente, para que não fique oco por debaixo das tábuas, coloca-se areia entre as ripas. Uma dica, é que em vez de areia, o melhor é colocar munha de carvão (aqueles farelinhos que sobram em lojas de carvão), além de ser mais barato, é muito mais leve, e isso deve-se usar principalmente se o assentamento for em um segundo ou terceiro andar.

# Outra coisa que consome muito dinheiro nas obras, são as ferramentas que se quebram muito fáceis. Apesar da maioria das ferramentas ser responsabilidade do funcionário, algumas sempre vem de quem é o dono da obra, e por incrível que pareça estas são as que mais quebram ou estragam. Estipule uma quantidade de ferramentas a ser compradas por mês e exija muito cuidado com elas, não aceite descuido com suas coisas.

# Na fase de pintura da construção, geralmente os pintores colocam uma quantidade exagerada de massa corrida na parede para depois lixar. Observe se ele coloca apenas o suficiente, não permita que ele exagere, porque a quantidade de massa corrida pode chegar ao dobro do necessário, ou seja, o dobro do dinheiro. Na aplicação da tinta, é importante que a tinta seja de boa qualidade, assim usa-se uma quantidade menor e a pintura seja mais bonita. A maneira mais fácil de saber se está havendo desperdício da tinta, é que quando se desperdiça tinta, grande parte dela fica no chão. Fique atento(a).